Portal das CalopsitasPortal das Calopsitas

Tudo o que você precisa está aqui!
Pesquisar no site:

Início / Cuidados Básicos / Saúde / A importância da prevenção / Idade Avançada

No Limiar da Idade – O fator Saúde
 


Diferenciar visualmente uma ave muito jovem de uma adulta não chega a ser tão difícil, mas reconhecer a idade de uma ave depois dessa fase de vida é quase impossível, exceto pelo anel de identificação que venha a ostentar. 
 
Aquelas que atingem uma idade mais avançada , exigem de nós um olhar ainda mais atento e observador para detalhes às vezes pouco perceptíveis como alterações físicas e comportamentais, que ocorrem de forma lenta mas progressiva ao longo de seu amadurecimento.
 
Mudanças físicas de aspecto degenerativo são as mais facilmente observadas, tais como a textura  da pele, bico e penas, alterações oculares (catarata, clareamento da íris),  inflamações nas juntas dos membros inferiores, etc.
 
Doenças que costumam acompanhar o processo de envelhecimento podem estar presentes,  tais como as cardiovasculares, cancerígenas, hepáticas e renais, mas infelizmente, na maioria das vezes, os seus sintomas não são percebidos desde o início, isso porque mesmo em cativeiro as aves possuem instinto de sobrevivência semelhante às silvestres, de não demonstrarem sinais de enfermidade, e quando ocorre já é bem tarde.  Portanto, quaisquer alterações de comportamento e de apetite devem ser levadas em consideração e investigadas por um veterinário como prevenção.
 
Vale ainda ressaltar que as alterações comportamentais da ave podem estar correlacionadas com as suas condições físicas. Por exemplo, uma das mais perceptivas mudanças é o decréscimo nas atividades físicas com conseqüente queda do gasto energético, tornando o pássaro mais tranqüilo e menos ativo comparado a um filhote.                      
 
Esta redução na atividade física pode significar um possível acometimento de dores articulares crônicas próprias da idade, tornando seu comportamento imprevisível, hesitante em seus movimentos,  menos propenso a se deslocar, podendo ficar sentado no fundo da gaiola por mais tempo devido a perda de equilíbrio e pelo inchaço nas articulações, etc.
 
Ave com esse desconforto pode vocalizar e interagir menos do que antes. O uso de analgésicos e anti-inflamatórios podem fazer uma enorme diferença no dia a dia trazendo o conforto necessário.   Outra alterações degenerativas pode torná-la menos ativa, como a dificuldade de enxergar, gerando insegurança e quietude.
 
 
 
Sistema imune x nutrição
 
O fator nutrição é uma das principais causas da baixa imunidade, contribuindo para o surgimento de doenças e debilidades, não importa em que momento da vida, podendo levar à mortalidade prematura.
 
Assim, com o avanço da idade,  aves com a imunidade diminuída tornam-se mais susceptíveis à infecções por bactérias,  fungos, protozoários e vírus. Por essa razão, dieta e tratamento adequados, mesmo antes de chegar à velhice, aliados à uma boa qualidade de vida,  permitem uma maior longevidade sem sombra de dúvida. 
 
A deficiência de vitamina A é um exemplo : afeta a visão, a pele, os ossos e as mucosas,  inibe o crescimento da ave, diminui a produção de ovos, altera as funções renais, propicia a degeneração cerebral, etc.
 
 
 
Obesidade  â€“ um dos grandes males

Os psitacídeos são os mais propensos a se tornarem obesos à medida que envelhecem, pois tem em sua dieta exclusivamente ou em grande parte as sementes que são ricas em gorduras.  Outros fatores que levam à obesidade é a falta de atividade física (aves que vivem em gaiolas pequenas), aliado à redução do ritmo metabólico,  não necessitando das mesmas quantidades calóricas exigidas de uma ave jovem.
Como num efeito dominó, a obesidade acaba contribuindo para o surgimento de doenças cardíacas,  renais e  hepáticas, problemas reprodutivos e dermatológicos, etc.,  que poderiam ser evitados e controlados desde a tenra idade com dieta equilibrada e atividade física.
Em aves que já apresentam quadro de obesidade, torna-se necessário o quanto antes uma reavaliação da dieta, adaptada à idade (sem perda da qualidade nutricional),  às características e ao estilo de vida, promovendo assim a redução de peso, complementada com vitaminas, minerais e aminoácidos, sempre com a indicação de um veterinário.
 
 

Em que você pode contribuir
 
 
·         Fornecer alimentação adequada e suplementos de forma equilibrada e adequada a cada fase de vida, de acordo com a espécie de ave;
 
·         Proporcionar ambiente saudável, facilitando o dia a dia da ave (poleiros com tamanho e formato adequados,  potes posicionados em locais de fácil acesso etc.);
 
·         Dar condições para seu pássaro se exercitar rotineiramente, seja em viveiro, seja numa gaiola em tamanho apropriado;
 
·         Familiarizar-se e estar sempre atento às alterações de comportamento,  sinais e sintomas de doenças,  inclusive mudanças nas fezes;
 
·         Levar  periodicamente sua ave ao veterinário no mínimo a cada ano, para exames clínicos e  de laboratório;
 
·         Procurar ter um contato próximo, isso transmite à aves segurança e confiabilidade.
 
 
 
CONCLUSÃO
 
 
É de nossa responsabilidade proporcionar o melhor para nossas aves, tendo sempre em mente que muitas das espécies têm uma longevidade superior ao que imaginamos, e poderão nos acompanhar por uma grande parte de nossas vidas.  Assim, a opção de ter uma ave, seja para criação ou para companhia, deve ser muito bem analisada antes da aquisição, se estamos mesmos preparados para tê-la e mantê-la por tanto tempo.
 
Podem ter certeza de que ao alcançar a velhice elas serão eternamente gratas por terem chegado até lá com saúde e respeito e fazerem parte de nossa família. 

Vale ainda ressaltar a importância da aproximação dos donos/criadores de aves com os veterinários, pois acima de tudo, a troca de informações e experiências são para ambos muito ricas e servem de parâmetro para o entendimento de muitas dúvidas sem respostas.
 

DEPOIMENTO
Espécie : Calopsita
Nascimento : 1988
Idade : 21 anos
 
Este é o Sultão, minha primeira calopsita e é a mais antiga que possuo.  Nasceu em 1988, e a adquiri em 1993, desde então tornou-se meu companheiro inseparável.
 
Como todas as minhas demais aves, o Sultão tem alimentação composta de mistura de sementes, legumes, verduras e frutas, tais como pepino, cenoura, chuchu, almeirão, etc., e vive num ambiente agradável e apropriado para sua idade.
 
Qual a fórmula de sua longevidade? Não tão somente uma boa alimentação e qualidade de vida é importante, mas demonstrar nosso afeto através da compreensão e respeito acredito ser o caminho.
 
Domingos – Campinas/SP

 


Mapa do Site   |  Direitos autorais   |  Veterinários   |  Livro de Visitas   |  Fornecedores   |  Aves Perdidas/Encontradas   |  Criadores   |  Grupo de discussão

© Portal das Calopsitas - Todos os direitos reservados - Phelipp de Avila - Web Designer, Design Gráfico e Wordpress Theme Developer - 5 usuários online.