Portal das CalopsitasPortal das Calopsitas

Tudo o que você precisa está aqui!
Pesquisar no site:

Início / Cuidados Básicos / Alimentação / A importância da alimentação

 



A saúde da ave depende, entre outros fatores, de uma dieta saudável.  Uma boa parte das doenças das quais a ave pode ser acometida é decorrente de uma alimentação deficiente, pobre em nutrientes essenciais como cálcio e vitaminas, o que leva à baixa absorção e aproveitamento dessas substâncias, queda imunológica do organismo, refletindo na saúde da ave e, consequentemente, no tempo de vida

Aves mantidas em cativeiro devem receber uma alimentação adequada, próxima a que teriam à sua disposição na natureza.  Um dieta à base apenas de sementes é pobre em nível nutricional, por essa razão precisa ser complementada com frutas, verduras, farinhada de ovo, suplementos vitamínicos, etc.  Além disso, as sementes são ricas em proteínas, portanto, não pode ser a única fonte de alimento.


SEMENTES

 

A mistura básica de sementes para calopsitas é composta de painço (50%), alpiste (30%), aveia sem casca (15%), girassol (5%). Esta é uma proporção aproximada.  Outras sementes podem fazer parte dessa composição como : trigo mourisco, cártamo, níger, por exemplo.

 

 

 

Deve-se tomar cuidado ao adquirir sementes, observando brilho, maciez, coloração, limpeza, se há cheiro de mofo, etc., seja à granel ou embalagem fechada.   Procure adquirir sementes em loja de grande circulação de mercadoria, pois sementes estocadas por muito tempo perdem suas propriedades e ficam sujeitas a fungos, que causam intoxicação na ave.  

 

Se você tem poucas aves, é mais interessante comprar a mistura de sementes vendidas em embalagens fechadas e, mesmo assim, sempre verifique a qualidade da mistura antes de fornecer à ave.  Se você perceber carunchos no meio das sementes ou que seu aspecto não está bom, não forneça à ave em hipótese nenhuma. 

 

As sementes não devem ser lavadas, pois uma vez aumentada a umidade interna das sementes através da lavagem e a falta de evaporação da água , esta umidade não será reduzida, nem mesmo com banhos de sol, ou aquecimento em forno, além do que esse procedimento destroi suas características físicas e químicas naturais. 

 

Alguns veterinários são contra ao fornecimento de sementes aos pássaros, quer seja pelo fato de seu teor nutricional não suprir totalmente as necessidades,  quer seja pela facilidade em adquirí-las velhas e com fungos, o que traria danos decorrentes da intoxicação, e orientam seus clientes a substituí-las totalmente pelas rações industrializadas.  Entendemos a preocupação dos veterinários, mas a mistura de sementes deve fazer parte da alimentação da calopsita, uma vez que trata-se de uma ave granívora (é de sua natureza alimentar-se de sementes, o ato em si de descascá-la com o bico).  Esta também é uma opinião da maioria dos criadores, pela experiência decorrente do contato que com suas aves.

 


amostra de sementes velhas com carunchos e bichinhos oportunistas
 encontradas em saco de mistura de sementes fechado

 


 amostra de sementes adquiridas de pacote fechado já deterioradas

 

 

MILHETO

 

 

BASTÕES DE SEMENTES

Considerados apetitosos e chamativos pelas calopsitas pela sua composição, devem ser dados de forma esporádica.

 

 bastão para calopsitas   -   produto americano

 

 

 

  

RAÇÕES EXTRUSADAS E PELETIZADAS

 

As rações extrusadas e peletizadas específicas para aves surgiram há pouco tempo (semelhantes a de cães, gatos, etc.), e cada vez mais novas marcas e variedades chegam ao mercado, com o objetivo de fornecer uma alimentação mais completa e equilibrada às aves em cativeiro.  A composição das rações varia conforme a característica/espécie de ave, e é alterada de acordo com a fase da vida da ave (crescimento, reprodução, muda de penas).

 

  

 

      ração peletizada para calopsitas   -   produto americano


A ração deve ser introduzida na dieta aos poucos, respeitando a fase de adaptação do organismo da ave, jamais substituindo as sementes por completo e de forma repentina.  
 

Assim como há criadores que substituiram completamente as sementes pelas rações, há aqueles que são favoráveis às sementes fornecendo a ração apenas como complemento, justamente por entenderem que a calopsita é uma ave granívora, e no seu ambiente natural uma parte de sua dieta é composta de grãos, portanto, fornecer apenas ração estaria indo contra a natureza da ave.

Outros alimentos podem ser fornecidos à calopsita como frutas, verduras e legumes de um modo geral.  A calopsita é relutante em experimentar novos alimentos aos quais não está acostumada, principalmente tratando-se de aves adultas.  Disponibilizar esses novos alimentos juntamente com as sementes, farinha e ração, é uma forma de chamar a atenção do pássaro.  A calopsita também aprende a comer por imitação, isto é, se no mesmo ambiente houver aves que estejam habituadas a comer esses alimentos, ficará mais fácil para a calopsita se interessar pelos mesmos.


  ração peletizada para calopsitas (com mix de frutas) - produto americano

 
 


FARINHADA INDUSTRIALIZADA

Outro alimento importante para o equilíbrio nutricional da calopsita é a farinhada de ovo industrializada, sua composição é variada conforme o fabricante, inclui ovo desidratado, probióticos, e outros nutrientes essenciais principalmente na época de muda de penas e de reprodução.  A composição de seus ingredientes é balanceada, e alguns fabricantes possuem farinhadas diferenciadas, para o período chamado de manutenção (dia a dia) como para o de reprodução.  É vendida em pet shops. 

 

 

 

FARINHADA CASEIRA                                                                      

  

Existem criadores que fazem sua própria farinhada de ovo, por um questão de preferência e até com o objetivo de minimizar os gastos.  A sua composição também é variada.                                                                                                                                                      

O ponto positivo de oferecer farinhada caseira às aves é por ser mais palatável, a ave aprecia mais, porém geralmente não consegue ser tão balanceada quanto uma industrializada, tanto pela variedade quanto pela quantidade de seus componentes, podendo ocasionar diarréia na ave, conforme a sensibilidade da ave e dos componentes empregados.

A farinhada caseira pode ser dada de forma esporádica, uma vez por semana.

 

Receita da uma farinhada de ovo caseira

 
A quantidade dos ingredientes depende do número de calopsitas a serem alimentadas.  Calcule de 2 a 3 colheres de café cheias de farinhada para cada ave.  A seguinte receita é a menor quantidade que dá para se fazer de uma farinhada e deve-se descartar eventual sobra para quem tem poucas aves :
 

--->  1 ovo pequeno cozido por aproximadamente 15 minutos (contados após a fervura), e espremido no espremedor de batatas.  Acrescente ao ovo 1 colher de sobremesa de mucilon, 1 outra de neston, 2 de fubá cozido em flocos tipo MILHARINA, KIMILHO.  Pode ser acrescida a essa mistura cenoura e/ou couve raladas.  Em épocas de reprodução e muda de penas, e eventualmente no dia a dia, ponha 1 pitada do pó de Aminomix ou Vitalbird, ou Organew (você pode adquirir em Pet Shop).  Sirva a farinhada ainda morna, e retire-a caso tenha sobras, no mesmo período do dia, devido ao ovo. 

Dica : ao cozinhar o ovo, acrescente um pouco de sal após a fervura, isso facilita a retirada da casca.  Outra dica é, caso a casca do ovo venha a rachar durante o cozimento, ponha junto à água um pouco de vinagre.

Ovo devidamente espremido, em formato de flocos, o que facilita a mistura dos demais componentes.  Na figura à direita, uma mistura dos ingredientes secos, que podem ser armazenada para ser utilizada quando for feita a farinhada. Nesta composição apresentada, contém : mucilon sabor milho, gérmem de trigo, farelo de trigo, flocos de aveia finos e flocos de cereais (neston).

 

 

 

 

 

 

 

 

Num pote à parte, mistura-se os ingredientes secos ao ovo espremido, acrescentando uma cenoura ralada.

 

 

 


Nessa mistura, depois de revolvida com uma colher, acrescenta-se fubá pré cozido em flocos.

 

Aqui, por fim, aproveitamos para acrescentar um composto de aminoácidos e probióticos, da marca Organew. A farinhada é então fracionada e colocada em potes individuais.  A quantidade adequada é o correspondente a 2 colheres de café para cada ave, na época de alimentação dos filhotes, essa quantidade pode ser aumentada.

 

 

 

E aqui as calopsitas se deliciando com a farinhada!

 

 

 

imagens pertencentes à Flávia Catarina


O equilíbrio correto do total de calórias diárias em relação à necessidade de energia e crescimento da ave é muito importante.  A vida sedentária de uma ave em cativeiro, que vive em gaiola, requer uma alimentação adequada para que a ave não fique com sobrepeso (obesidade).
 
 

VERDURAS, LEGUMES, FRUTOS E GRÃOS

Almeirão, brócolis, pepino, cenoura, abobrinha, beterraba, etc.


 

 

brócolis
 

rúcula

cenoura

espinafre

beterraba

 milho

 

 

 



FRUTAS

Maçã, laranja, etc.

Maçã

Uva

 

 


tangerina


OUTRAS DICAS

 
  • Nos dias mais frios, pode oferecer à ave trigo pré-germinado.  O trigo integral é fonte de fibras, além de proteína, carboidrato, vitaminas (rico em vitamina E)e minerais. É vendido em supermercados, na área de alimentos naturais/dietéticos.  
Pegue um pouco de grão de trigo, e ponha de molho por aproximadamente 2 a 3 horas. 

 

Depois, lave e escorra, deixando secar naturalmente.

  

Já está pronto para servir, veja que os grãos estão pré-germinados.


 

  • Sirva os alimentos (verduras, frutas, legume) e água na temperatura ambiente. 

  • Lave muito bem frutas e verduras, cortando os talos, pois geralmente é neles que se concentram os agrotóxicos. 

  • Cuidado com as sementes! Sementes colhidas antes do tempo, ou em época úmida, estão sujeitas a atingir mais de 13% de umidade interna.  Isto favorece um crescimento muito rápido de fungos.  Todos os fungos liberam o que se é chamado de microtoxinas que não são destruídas mesmo que torre-se o grão ou seja colocado ao sol.  O calor é capaz de destruir os fungos, mas as toxinas não.  Portanto, orientamos a não estocar sementes por mais de 30 dias, deixa-as dentro de um pote com tampa semi-aberta para as mesmas respirarem, em local ventilado.  Ao comprar as sementes, verifique se são novas ou não. 

  • Dê folhas de beterraba, contêm iodo, ferro e cálcio! As calopsitas adoram desfiar os talos.
  • Certos cuidados devemos tomar com relação às verduras, que devem ser bem lavadas e, de preferência, deixadas de molho em solução de cloro ou vinagre por 30 minutos.

 

Nunca dê à sua ave :   abacate, chocolate, café, leite, chá, tomate, alimento com sal, feijão, sementes de maçã.


"A semente da maçã e outras espécies relacionadas como pessego, cereja, etc possuem cianoglicosídeos, ou seja, açúcares que quando digeridos liberam cianeto, uma substancia toxica para as hemácias e o transporte de oxigenio. Na verdade, nem nós deveríamos comer tais sementes! O problema é que pelo pequeno porte e peso, qualquer dose pode levar uma calopsita à intoxicação, coisa que dificilmente aconteceria com um humano. 

O abacate mexicano, aquele pequeno e com casca bem escura possue um ácido graxo (gordura) chamado persina que é toxico para aves e outros animais. Quando ingerido pode causar disritmia e síndrome respiratória aguda, podendo levar a ave ao obito dependendo da dose intoxicante. 

O outro abacate nacional, à priori não teria problema algum, caso fosse manejado em pouca quantidade devido ao alto teor de gordura, na dúvida, melhor não fornecer abacate à ave."

Fonte :  Dra. Claudia Niemeyer - Médica Veterinária

 

 

LARVAS DE TENÉBRIO TEM UMA BOA FONTE NUTRICIONAL?

 

Os insetos não fazem parte da alimentação das calopsitas, a relação cálcio e fósforo é ruim, tem mais fósforo que cálcio, níveis de proteína baixos, excesso de proteína não digerível (não aproveitável), e um alto teor de gordura.  Pode ter também a presença de vermes que comprometem a saúde do pássaro.


Quando criamos tenébrios em casa, ou compramos em pet shop, é muito importante manter a colônia saudável.  Como qualquer outro animal, os tenébrios também podem desenvolver doenças.  É comum a colônia ser invadida por fungos quando usamos muitos alimentos úmidos para alimentar as larvas.  O correto é primeiramente cuidar da colônia antes de oferecer as larvas como alimento.

 


SUBSTÂNCIAS ESSENCIAIS


CARBOIDRATOS 

Açúcares 

-> Forma mais importante de produzir energia e calor.
 -> Cereais, grãos e frutos


GORDURAS 

-> Servem como fontes de alguns ácidos graxos essenciais e participam na absorção de vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K).  O excesso é estocado no organismo sob forma de gordura.


PROTEÍNAS 

-> Importantes alimentos para músculos, penas, bico, pele, unhas e ovos.


VITAMINAS 

-> As vitaminas são essenciais ao crescimento, reprodução, saúde e manutenção das atividades normais do metabolismo e fisiologia das aves. Quando as vitaminas estão ausentes na dieta ou são pouco absorvidas e utilizadas, pode haver deficiências metabólicas específicas. Em geral, sinais de deficiência de vitaminas (quando abaixo dos níveis exigidos) são observados mais rapidamente em aves jovens e nos embriões em desenvolvimento.

As vitaminas são substâncias nutritivas que, apesar de necessárias em pequenas quantidades, devem ser fornecidas na dieta, e estão presentes nos alimentos naturais.


Vitaminas lipossolúveis

São vitaminas solúveis em lipídios (gordura) e não solúveis em água.  Após a absorção no intestino, elas são transportadas através do sistema linfático até aos tecidos onde são armazenadas. Vitaminas A, D, E e K. 

Vitaminas Hidrossolúveis

São vitaminas solúveis em água, não são armazenadas pelo organismo em quantidades apreciáveis, sendo normalmente eliminadas pela urina. Vitaminas B1, B2, B6, B12, H (biotina), Colina, Niacina, Ácidos Fólico, Pantotênico e Ascórbico.


 


 

 

Fonte : Paulo P. F. Curto - Zootecnista pela UNESP de Jaboticabal

 

 

 CONSEQUÊNCIAS DE DESEQUILÍBRIO NUTRICIONAL

 

Deficiência de cálcio e vitamina D3 devido a alimentação baseada em sementes na totalidade.  A super nutrição é tão maléfica quanto a subnutrição, a dieta que contenha mais de 1% de cálcio e vitamina D3, assim como outros fatores não totalmente compreendidos, podem levar à doença renal

 

 

 

 

 PARA REFLEXÃO

  

Nós, seres humanos, "pecamos" tanto pela falta como pelo excesso, em tudo relacionado em nossas vidas.

 
É certo que nós queremos muito bem às nossas calopsitas e buscamos dar o melhor e mais saudável a elas, além de boa gaiola, higiene, etc.  E com relação à alimentação, as pessoas costumam pensar que sempre tem algo que esteja faltando e que poderia ser dado ou complementado, ou também dar apenas por ser uma novidade.
 
 
O organismo da ave não está preparado para tantas variantes na alimentação.  O mais importante não é a variedade, e sim a qualidade. Se você der a alimentação básica, de boa qualidade, a sua calopsita estará igualmente nutrida. 

 



Mapa do Site   |  Direitos autorais   |  Veterinários   |  Livro de Visitas   |  Fornecedores   |  Aves Perdidas/Encontradas   |  Criadores   |  Grupo de discussão

© Portal das Calopsitas - Todos os direitos reservados - Phelipp de Avila - Web Designer, Design Gráfico e Wordpress Theme Developer - 1 usuário online.